segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

LUÍSA DACOSTA (1927 - 2015)

Luísa Dacosta faleceu ontem, dia 15 de fevereiro, aos 87 anos.


Professora e escritora, nasceu em Vila Real a 16 de fevereiro de 1927. Formou-se na Faculdade de Letras de Lisboa em Histórico-Filosóficas.
Começou a sua vida literária em 1955 com a publicação de um livro de contos intitulado Província.
A partir de 1972 iniciou a escrita de livros para crianças - onde se destacou - e dirigiu coleções nesta área editorial.
Na sua atividade de tradutora, traduziu obras das escritoras francesas Nathalie Sarraute e Simone de Beauvoir. Colaborou em diversos periódicos, tais como Colóquio/Letras, O Comércio do Porto, Jornal de Notícias, Seara Nova.
Em 2009 foi homenageada na Feira do Livro do Porto e no ano seguinte recebeu o Prémio Literário Vergílio Ferreira, atribuído pela Universidade de Évora.

Entre os seus livros infantis contam-se:










“Era uma vez um elefante cor-de rosa...
Mas não existem elefantes cor-de rosa!
Não é inteiramente verdade, a verdade é outra:
não existem na Terra elefantes cor-de-rosa, o que é muito diferente.
Mas noutro planeta, fora da nossa galáxia, num mundo pequenino, forjado no bafo de outras estrelas e aquecido por outro sol, havia elefantes cor-de rosa.
Viviam em florestas dum verde muito verde, entre pássaros azuis e manhãs de cristal, sem atmosfera.
Moviam-se graciosamente, naquele mundo amável, um pouco como balões soprados, porque a gravidade não os prendia demasiado ao solo.
E dançavam grandes rodas, dando-se as trombas, até altas horas de muitas luas, porque não havia sofrimento e por isso o tempo não podia medir-se.”

Luísa Dacosta
in, O elefante cor-de-rosa



Podes encontrar alguns dos seus livros na 
Sala Infantil da Biblioteca Municipal






Sem comentários:

Enviar um comentário

VAIS GOSTAR TAMBÉM DE:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger..."