segunda-feira, 9 de setembro de 2013

“A versatilidade criadora de Maria Alberta Menéres é inesgotável” António Torrado


Poeta, tradutora e autora de livros para a infância, Maria Alberta Menéres nasceu em Vila Nova de Gaia em 25 de agosto de 1930.
Licenciou-se em Ciências Histórico-Filosóficas, pela Universidade Clássica de Lisboa.
Foi professora do ensino técnico, preparatório e secundário, colaboradora em diversos jornais e revistas, nomeadamente Távola Redonda, Diário de Notícias, Jornal de Letras, Contravento, Expresso, Cadernos do Meio-Dia e Diário Popular, neste último foi responsável durante 2 anos pela secção Iniciação Literária. Autora e produtora de programas de televisão, tendo dirigido o departamento de programas infantis e juvenis da RTP.

 
“Lembro-me que, quando criança, como era muito raro estar doente, de vez em quando dizia para os meus pais: - Amanhã faz de conta que estou doente! Quero canja e que me contem histórias todo o dia.”
  
A sua primeira obra data de 1952 e intitula-se Intervalo.
A sua obra para a infância caracteriza-se pelo humor e pela poesia, procurando alertar os jovens para os mais simples detalhes do quotidiano.
Tem trabalhado em parceria com o escritor António Torrado em vários livros e também com os escritores Carlos Correia e Natércia Rocha, na coleção juvenil Mistério.
Ao longo da sua carreira tem recebido inúmeros prémios, entre eles o Concurso Internacional de Poesia Giacomo Leopardi, em 1960 com o livro Água-Memória e o Prémio de Literatura Infantil da Fundação Calouste Gulbenkian, em 1981.
Muitos dos seus livros fazem parte da lista do Plano Nacional de Leitura.
 

            


Pertenceu à Comissão de Classificação de Espetáculos Cinematográficos e à direção da Associação Portuguesa de Escritores, foi assessora do Provedor de Justiça, como criadora e responsável pela linha telefónica gratuita “Recados da criança”. Em 2004 deu nome a um agrupamento de escolas, na Tapada das Mercês em Sintra. Em 2010 foi agraciada com o grau de Comendadora da Ordem de Mérito.

 
"... é bom viver num mundo que está cheio de histórias contadas e por contar, e que as podemos descobrir ao longo de toda a nossa vida - sempre diferentes, conforme os olhos que as veem e o coração que as sente. Não há receitas para estas descobertas, mas apenas estratégias sensíveis que, se nós as quisermos descobrir, veremos como poderão dar mais sentido e beleza à nossa vida de todos os dias."

 
Podes ver AQUI as obras de Maria Alberta Menéres,
que se encontram disponíveis para ti, na sala infantil/juvenil da Biblioteca Municipal.

Ilustração de Jennifer Emery


 “Que bom ter alguém que gosta de nós sem se preocupar com o nosso tamanho.”
Maria Alberta Menéres,
in Histórias de tempo vai, tempo vem







Sem comentários:

Enviar um comentário

VAIS GOSTAR TAMBÉM DE:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger..."